31/10/2011

Meu diário mensal (01/10/11 á 31/10/11)

No dia 04/10 Gorduchão veio passar uma semana conosco, aos cuidados do Felipe.
Gorduchão é um boneco de pano com coração de algodão, ele é sorridente e obediente.Felipe teve a atividade escolar de cuidar do Gorduchão e relatar diariamente sua rotina.Gorduchão brincou, assistiu televisão, usou a Internet, passeou e dormiu em sua própria cama.
A sua estadia em casa foi muito gratificante, ele nos fez rir e nos aproximou.Gorduchão conquistou todos em casa.
Felipe também teve como atividade de ciências, montar um terrário com direito a minhocas, plantas, tatus e muito mais.Foi complicado encontrar os tatus e as minhocas.Espero que eles sobrevivam.
A flor veio na segunda e na quarta semana em casa.Minha futura escritora não pode ver uma caneta que sai a procura de papel e sai rabiscando.
Na terceira semana comecei a me organizar para o Enem.Onde compareci na data prevista para a realização dos exames.A prova foi bem cansativa.Agora e aguardar e correr para o futuro.
No início da quarta semana fui conversar com a terapeuta do Felipe e fiquei a par que ele tem muito mais de mim do que suponhava.
O terreno do coração continua a espera de uma semente, aonde venha florescer a amizade, o respeito e o companheirismo, simbolizando o amor.
Ganhei da minha amiga blogueira Aline, o livro “Casório !?!” da autora Marian Keyes.Não dá para descrever a emoção que senti ao ganhar o presente, senti-me especial, querida e acima de tudo importante.Deus sabe, o quanto me fez bem.
Então venho por este meio dizer “Obrigada!Querida Aline". 
As aulas de psicologia sempre me fascina, principalmente pela forma como ela é conduzida.Meu professor passa tanta paixão quando leciona que é impossível não se apaixonar.As aulas são ricas de conhecimentos e informações.Ele nos pergunta se somos “Senhor ou Escravo”.
Respondo no meu íntimo que sou “Senhor” do meu desejo, do meu amor-próprio e da minha vida.Sentindo-me livre.
E assim, se vai mais um mês.E mais uma vez o amor passou raspando.Quem sabe da próxima, afinal fantasiar é o combustível para continuar viva.