08/02/2016

Diário mensal de Janeiro de 2016

Uma palavra que define o mês de Janeiro é: saudade da Flor do meu Jardim,
Tenho passado por um momento muito angustiante, com a separação da Flor, mas a fé que tenho em Deus, acredito que brevemente ela estará perfumando o nosso jardim.
Enquanto a liminar da justiça não acontece, vou levando a vida e fazendo meu dia-dia alegre, pois é assim que a Flor deve ser lembrada, alegre e feliz.

Dias de alegria:

Tarde da noite acabou a energia, brincamos a luz de velas do jogo cara-cara, foi divertido.

Deus me enche de esperança, paciência e preseverança através de sua palavra.

 Os Anjos do Senhor, está comigo em todos lugares, aonde coloco os meus pés.

Exposição Patrícia Piccinini


Fomos na exposição ComCiência de Patrícia Piccinini, foi bom conhecer o espaço Centro Cultural do Banco do Brasil.

Fiquei rica jogando Banco imobiliário com o Felipe, ele estava confiante.

Rimos muito no cinema, assistindo "Até que a morte, nos separe".

Lanche da tarde com direito a pão com hambúrguer e coca-cola geladinha.

Minha mãe chegou de Mogi da Cruzes, cheia de boas notícias.

Se Deus quiser, férias marcada para Março.

Assistimos no Netflix a aventura do "Piratas do Caribe: O baú da morte".

De folga, com a casa limpinha e chuva respingando na janela.

Brinquei com o joguinho favorito do Felipe, Uno.

Vontade de trabalhar como voluntária, sensação de prazer tomou conta de mim.

A Luz do Sol, irradiou minha tarde.

Heloisa levando os amigos para passear


Trabalhar ao lado da minha amiga Eliane Galo, as horas voaram.

"Busca Implácavel" foi o primeiro filme de suspense-policial, que o Felipe assiste.

Saboreando uma deliciosa sobremesa "banana-split" com minha amiga Clarice.

 Momento de desligar notbook, videogames ,TV e relaxar.

Um tour em Ilha Comprida

Ganhei uma linda xícara para tomar café na empresa.

Sensação de plenitude, ao apreciar o Pôr-do-Sol.

Ganhei um chaveirinho da minha mãe, muito gratificante.

Fiz deliciosos pastéis de bauru, com direito a queijo repuxando.

Caminhar na areia, sentindo a água do mar nos dedos dos pés, relaxou todos os ossos.

Um domingo em Ilha Comprida

Um banho de mar é uma forma de lavar a alma e agradecer a Deus por tudo.

Viajar é bom, mas voltar para casa é muito bom.

Sensação de alívio, desabafei tudo o que me incomoda e o que espero da empresa aonde trabalho.

Cogitei em não fazer, colocando 1.000 desculpas, mas depois de 3 meses de roupas acumuladas, me senti realizada em ver o cesto de roupas vazio com as roupas passadas e guardadinhas.

A palavra de Deus está se cumprindo, esperança de uma vida melhor, sonda-me.

Café da tarde, com Maxi panetonne na chapa, imagina aquele chocolate derretidinho com café coado na hora.

Fiquei em extâse ao compar o caderno com a capa que tanto almejo usar para meu 2º semestre da faculdade.
Um sonho de consumo


Compartilhar com o Felipe a arrumação do material escolar para volta ás aula, é gratificante.


É em Jesus que encontro ânimo para fazer das minhas dores, momentos de alegria!